SPFW por Tâmisa Trommer

São Paulo, dia 25/10, semana de São Paulo Fashion Week. Realizava uma vontade de anos, representava tantas pessoas que se interessam em conhecer esse lugar restrito, secreto e tão rico que é a SPFW.

Em sua edição n.42, além dos desfiles foi disponibilizada uma programação para o público em geral. Essa plataforma foi a Fio da Meada e ofereceu painéis, bate-papos e open houses e workshops que aconteceram no shopping Iguatemi nas imediações do Cinemark.

Com as diferentes programações e desfiles, considerando distâncias, horários e interesses, precisei fazer algumas escolhas e são essas que compartilho com vocês agora.

Logo pela manhã ocorreu o painel sobre moda autoral e identidade brasileira, que contou com a presença de Juliana Ferreira (Isolda), Lane Marinho, Silvia Monteiro (Isla) e mediação da Chiara Gadaleta.

Nessa conversa foram abordadas temas como a identidade do Brasil, do que sentimos saudade quando saímos do país e como é vista a cultura brasileira fora daqui. Na sequência as participantes comentaram sobre como a sua produção manual requer que se envolvam diretamente na criação e produção e, para a Lane Marinho em especial, ela mesma realiza os bordados manuais dos seus calçados.

Silvia comentou como suas criações são como uma família em que cada peça tem suas diferenças, mas no conjunto se percebe as similaridades. A Juliana já citou que as estampas são um processo bastante manual, pintado a mão e que a sua última coleção chama tupi-guaraná, fazendo referência sempre à o que o Brasil oferece de único para o restante do mundo.

Tanto a Isla, Isolda e Lane Marinho utilizam as redes sociais para divulgar e comercializar seus produtos. No caso específico da Isla também contam que realizam testes pelo Instagram, avaliando pelo retorno dos seguidores quais são as preferências para direcionar melhor a produção e trazerem o público como co-criadores.

Como fechamento as palestrantes citaram como o Brasil é genuíno, híbrido e exuberante, e que a valorização da nossa cultura está presente nas suas identidades de marca.

Após o painel, no lounge podemos ver tantos estilos convivendo juntos, entre risadas, alegrias, amizades, chocolates e café!

Na sequência do dia, durante a tarde tive a grande alegria de acessar o desfile do Ronaldo Fraga. Foi incrível, honestamente um marco na vida! Inspirados no tema “Trans” da SPFW, a marca desfilou no Teatro São Pedro.

_abr3991-1

Partindo da mesma modelagem, as peças tiveram inserções de grafismos, ilustrações e recortes que diferenciaram os modelos e relembraram um Brasil de quase 100 anos atrás. Todos as modelos são transgênero e o destaque foi para a discussão de que o Brasil é o 5º país no mundo com maior número de mortes por feminicídio, cultura que está enraizada e que devemos repensar para mudar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O desfile foi encerrado com um tango entre as modelos vestidas apenas de lingeries e um agradecimento, uma a uma, do próprio Ronaldo Fraga. Não precisa nem dizer que aplaudimos em pé, com grande emoção!

Anúncios

Um comentário sobre “SPFW por Tâmisa Trommer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s